Análises Atmosféricas: Um guia completo!

Para começar a falar sobre as análises atmosféricas, destacamos o quanto a qualidade do ar interfere diretamente na saúde humana; este seria o principal elemento de relevância para que órgãos governamentais, empresas privadas e de outras frentes, se interessassem em manter sempre um laudo técnico atualizado sobre os passivos ambientais que liberam na atmosfera.

Dados registrados via satélite, publicados no portal ISTOÉ Dinheiro, em março deste ano, mostram uma queda de 35% de concentração de dióxido de nitrogênio entre fevereiro de 2019 e 2020, na cidade de Pequim. Porém, em fevereiro de 2021 o índice de poluição desse gás, que é tóxico, voltou a subir.

O que é e como são feitas as análises atmosféricas?

A análise ambiental atmosférica é aquela feita para identificar gases tóxicos, níveis de materiais particulados, entre outros passivos liberados na atmosfera

Por meio de recipientes, conhecidos tecnicamente por Canister e Bottle Vac, que são uma espécie de garrafa específica, são feitas as coletas das amostras de gás ou material particulado. Levadas ao laboratório, o processo de análise das amostras segue para a instrumentação analítica. Ou seja, a garrafa é acoplada em um outro equipamento para a extração da amostra, e assim seguir com a análise do volume, quantidade e níveis de concentração de gases tóxicos ou material particulado.

Os equipamentos utilizados tanto na coleta das amostras de análises atmosféricas quanto no laboratório, devem ser devidamente calibrados e operados por uma equipe altamente especializada.

Critérios e Procedimentos de amostras para análises atmosféricas 

Caso não tenha ficado evidente, todo lançamento atmosférico de caldeira ou extrusora, é um passivo ambiental atmosférico. Logo, em São Paulo, por exemplo, a CETESB pode solicitar à empresa, indústria ou estabelecimento, um laudo técnico acreditado. Ou seja, um laudo técnico de análise ambiental atmosférica com dados que indicam o impacto ambiental do passivo lançado. 

A análise ambiental atmosférica tem capacidade de identificar os gases e também de medir a eficiência da caldeira e do lavador de gás

Os critérios e procedimentos são altamente técnicos e segmentados por, por exemplo: material particulado inalável, filtráveis e condensáveis; gases de combustão, entre outros. Neste último, o uso de cilindros padrões se fazem necessários. Vale lembrar que todos os equipamentos são específicos e regulamentados para este fim.

Análises ambientais e a regulamentação legal sobre poluentes atmosféricos

A primeira regulamentação que trata da questão de emissão de poluentes atmosférico, é a Lei Federal Nº 8.723/93 que “Dispõe sobre a redução de emissão de poluentes por veículos automotores”.

Cinco anos depois, foi promulgada a Lei de Crimes Ambientais, Nº 9.605/98; que “dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente”.

Art 54º, § 3 – causar poluição atmosférica que provoque a retirada, ainda que momentânea, dos habitantes das áreas afetadas, ou que cause danos diretos à saúde da população.

Em 2010, a Lei Nº 12.305 instituiu a PNRS – Política Nacional de Resíduos Sólidos; que contempla também a fiscalização do impacto de passivos atmosféricos.

Art. 9o § 1- Poderão ser utilizadas tecnologias visando à recuperação energética dos resíduos sólidos urbanos, desde que tenha sido comprovada sua viabilidade técnica e ambiental e com a implantação de programa de monitoramento de emissão de gases tóxicos aprovado pelo órgão ambiental.

Além das leis já mencionadas, a Resolução 491/18 que trata dos padrões de qualidade do ar, também regulamenta e padroniza processos para atividades ligadas às questões ambientais. 

A NBR 12019 da ABNT é a norma que regulamenta “o método de determinação de material particulado de efluentes gasosos em dutos e chaminés de fontes estacionárias”.

CONAMA e MMA são órgãos no âmbito federal que fiscalizam e traçam diretrizes. Cada Estado tem seu responsável pela fiscalização e regulação da situação ambiental; em São Paulo, por exemplo, é a CETESB.

Análises ambientais atmosféricas – A relação da poluição com a pandemia

Considerando a lógica “causa e efeito”, a poluição atmosférica tem relação com o aumento da contaminação e letalidade no cenário pandêmico. Isso porque, entre outros gases tóxicos, um pulmão exposto ao CO₂, por exemplo, pode ter como consequência: acidose ventilatória, que reduz a oxigenação sanguínea; redução da capacidade cardiorrespiratória, entre outras.

Portanto, as consequências pulmonares danosas deixam o aparelho respiratório mais debilitado e suscetível a infecções.

Um estudo da Universidade de Genebra indicou, em novembro de 2020, a relação entre as “tempestades epidêmicas” no mesmo período em que foram divulgados dados sobre baixa qualidade do ar e aumento na concentração de micropartículas.

Outro estudo, este publicado na revista “Cardiovascular Research”, indica que o impacto da poluição atmosférica nos óbitos por COVID 19 pode chegar a um aumento de 15% dos casos no mundo

Dentro do escopo das análises ambientais, a Mérieux NutriSciences atua também na coleta de poluentes atmosféricos, oferecendo soluções completas. Vale lembrar que as análises feitas em nossos laboratórios são ambientais e não biológicas. Porém, os dados trazidos neste conteúdo mostraram a relação entre poluição e risco biológico. Ou seja, na dúvida, solicite a análise ambiental para garantir a saúde atmosférica, impactando assim positivamente a saúde física. Por fim, diminuir a poluição é também uma maneira de reduzir os riscos biológicos

Para saber mais sobre efluentes atmosféricos, as legislações envolvidas e qual a análise ideal para o seu negócio, entre em contato com nossa equipe técnica.

Escrito por

Mérieux NutriSciences

Como parte do Institut Mérieux, a Mérieux NutriSciences é um dos maiores grupos de laboratórios do mundo e se dedica a proteger a saúde dos consumidores, oferecendo uma vasta gama de serviços de análises laboratoriais às empresas e indústrias.

Receba nossas novidades