Geosmina e a Qualidade da Água que Consumimos

A geosmina é um composto orgânico e, quando em ambientes aquáticos, pode causar alteração no gosto e odor, interferindo na qualidade da água que consumimos, podendo indicar excesso de cianobactérias.

O que é Geosmina?

Geosmina é um composto orgânico produzido por microrganismos que podem estar presentes no solo, como bactérias e fungos, ou em ambientes aquáticos, as cianobactérias.

No solo, é conhecida pelo cheiro de “terra molhada” após reação da chuva com o solo, isso nada mais é do que a ação de liberação da geosmina. Já em ambiente aquático, as cianobactérias podem causar alteração no gosto e odor na água que será consumida, caso o manancial seja usado para abastecimento de água.

Além da geosmina, há o MIB (2-metilisoborneol) um outro composto produzido por estes mesmos microrganismos, que também pode causar alteração de odor e sabor na água. Entretanto, a sensibilidade dos seres humanos ao odor desses compostos é extremamente alta, ou seja, mesmo em baixíssimas concentrações (abaixo de 10 ng/L) será percebido na água e pode levar a uma percepção de água imprópria ao consumo humano.

Qualidade da água de consumo 

Todavia, a presença de Geosmina e MIB não são diretamente um risco à saúde humana. Considerando as  concentrações em que normalmente são encontrados na água. Portanto, não são moléculas que constam de forma direta nas legislações que tratam do assunto, tal como a Portaria de Potabilidade MS 888/2021. Ainda assim, indicam potencial risco do excesso de cianobactérias presentes no manancial.

As cianobactérias podem produzir uma série de outros metabólitos capazes de exercer efeitos tóxicos, se presentes na água de consumo. Estes metabólitos são conhecidos como: cianotoxinas, tais como, microcistina, cilindrospermopsina, anatoxinas e saxitoxina.

O aporte de efluentes sanitários e industriais em corpos d’água receptores sem um tratamento até um nível adequado (tratamento terciário), assim como poluições de fonte difusa geram o comprometimento de grande parte dos ecossistemas aquáticos. Sendo um dos principais impactos a eutrofização das águas. Esta é estimulada pelo excesso de nitrogênio e fósforo que não são removidos por tratamentos convencionais (tratamento secundário).

Por isso, ambientes eutrofizados favorecem eventos de florações de algas e cianobactérias, estas as quais, produzem os compostos odoríferos 2-metilisoborneol (MIB) e trans-1,10-dimetil-trans-9-decanol (geosmina).

Contudo, olhando de forma geral o contexto, a presença de Geosmina e MIB gerando gosto e odor de terra e de mofo na água que consumimos é apenas um indicador de um problema maior.

Os recursos hídricos que são usados no abastecimento de água, estão sobre pressão de uso e ocupação do solo nas áreas de manancial, aporte de efluentes e fontes difusas, que mesmo quando tratados, muitas vezes, não evitam o processo de eutrofização, e com o consequente desenvolvimento excessivo de cianobactérias, estas que trazem um risco real, e devem ser corretamente conhecido e monitorado sistematicamente de forma a manter o uso da água em padrões de qualidade aceitáveis para nossa saúde.

A Mérieux NutriSciences 

A Mérieux NutriSciences realiza ensaios físico-químicos e microbiológicos para assegurar a qualidade das águas superficiais, subterrâneas, para consumo humano e residuárias, em conformidade com os padrões nacionais.

Nossos laboratórios especializados realizam análises químicas para determinar a presença de contaminantes, incluindo metais pesados, compostos orgânicos voláteis e semi-voláteis, incluindo PCBs, além de outros. A verificação da qualidade de cada tipo de água é realizada para garantir o atendimento às legislações vigentes. Nossos serviços de monitoramento de água incluem: Análise de água potável, águas residuárias e de processo.

Para mais informações sobre as análises ambientais ou/e demais serviços, entre em contato conosco!
0800 707 0729 | +55 19 3417 4700
ambiental.br@mxns.com
Ou solicite atendimento virtual

Escrito por

Arnaldo Ribeiro

Biólogo, com 17 anos de experiência em laboratórios ambientais. Possui mestrado em Saúde Pública pela USP e MBA em Gestão de Produção pela FGV. Atuou na implantação de sistema de gestão da qualidade em 12 laboratórios, conforme norma ISO 17025. Conhecimento avançado em legislação de qualidade da água e atuação em análises hidrobiológicas, ecotoxicologia, análises microbiológicas e inorgânicas.

Receba nossas novidades