Chuva Ácida – Impactos e análises do excesso de CO2 na qualidade do ar

Uma das causas da chuva ácida são as grandes queimadas que aumentam a concentração de CO2 no ar refletindo também na água do mar. Veja outros impactos a seguir…

Como todos nós aprendemos na escola quando o valor do PH da água é 7, ele está neutro; mas quando o ph está abaixo de 5,6 é quando se considera tecnicamente com excesso de acidez. Em outras palavras, a chuva ácida se caracteriza quando há excesso de CO2. O dióxido de carbono faz parte do grupo de poluentes atmosféricos analisados para medir o nível de qualidade do ar que, em contato com a água, formam as chuvas ácidas.

Além de atividades industriais poluidoras como o Pólo Petroquímico de Cubatão, grandes queimadas aumentam a concentração de CO2 no ar. Entre os muitos impactos ambientais negativos resultantes disso, a chuva ácida gera passivos na vida marinha, pela acidez que causa nas águas dos oceanos e no solo. O fenômeno é conhecido dos estudiosos da ONU – Organização das Nações Unidas, que pesquisam indicadores das mudanças climáticas e mecanismos para desacelerar esse processo. 

O crédito de carbono, por exemplo, é uma das medidas adotadas como incentivo para que pessoas e empresas adotem ações para diminuir a emissão de gases do efeito estufa, que corroboram com as mudanças climáticas.

Após essa contextualização, vamos agora pontuar os impactos e as análises do excesso de CO2 na qualidade do ar.

Poluição Atmosférica

A poluição do ar se caracteriza por substâncias concentradas presentes na atmosfera, nocivas à saúde e ao meio ambiente. Essas substâncias são, em sua maioria, líquidos ou gases, além de partículas e material biológico.

Quando uma indústria emite gases também vai para a atmosfera alguns materiais particulados. Nesse caminho muitas vezes conseguimos ver a olho nu, uma nuvem densa “viajando” e se espalhando pelo ar. Assim, quando chove, todos esses contaminantes acabam por fazer parte do composto dessa água que cai do céu. Ainda que distante de suas fontes emissoras. A exemplo disso podemos citar a queima de carvão de uma Usina Termelétrica no Rio Grande do Sul, que impacta prejudicialmente a qualidade do ar do Uruguai.

Poluição afeta a qualidade do ar em diversas frentes. A emissão de CO2 e de outros gases tóxicos são os principais responsáveis pela característica da chuva ácida.

A análise ambiental do ar é o que garante a segurança, tanto a saúde humana quanto do meio ambiente e seus ecossistemas quanto a preservação da biodiversidade e os efeitos danosos do contato com o ar contaminado; que por consequência contamina água e solo.

Qualidade do Ar

Quando ouvimos alertas sobre a baixa umidade do ar e problemas quanto à qualidade do ar nos noticiários, significa que foram feitas medições em estações de monitoramento que por meio da comparação dos níveis de poluentes presentes na atmosfera, atestando o excesso ou não de ozônio e outros gases. As partículas são analisadas ao nível do solo e os parâmetros usados tem aprovação do CONAMA – Conselho Nacional do Meio Ambiente (resolução 03/90);

Instituídos pelo IBAMA – Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, os parâmetros para o monitoramento do índice de Qualidade do Ar são classificados em poluentes primários e  secundários.

Os primários são lançados diretamente na atmosfera, com origem de fontes antrópicas, ou seja, que resultam da ação humana e de origem natural. Já os secundários são os provenientes de reações químicas e fotoquímicas.

Os poluentes atmosféricos mais conhecidos nos estudos e análises técnicas são:

  • NH3 – Amônia
  • Material Particulado
  • SOx – Óxidos de Enxofre
  • O3 – Ozônio Troposférico
  • CO2 – Dióxido de Carbono
  • CO – Monóxido de Carbono
  • NOx – Óxidos de Nitrogênio
  • CFCs – Clorofluorcarbonetos
  • COVs – Compostos Orgânicos Voláteis

São diversos os fatores e atividades que causam a poluição do ar. Entre elas estão fontes consideradas naturais e outras, como já citado, antrópicas.

Decomposição de matéria orgânica,  monóxido de carbono emitido na fumaça de queimadas e incêndios, gás metano resultante do processo digestivo de animais (gados, etc), entre outras estão categorizadas nas fontes naturais. As de responsabilidade humana estão no cotidiano da vida e das atividades econômicas como por exemplo a queima de combustíveis fósseis e emissão de óxido de nitrogênio e de monóxido de carbono; provenientes de usinas, fábricas e veículos, respectivamente.

Como ajudar na diminuição da poluição do ar

Nesse sentido as empresas devem estar atentas especialmente a fiscalização ambiental no que tange o escopo de cada ramo de atividade. Consciente da legislação as empresas podem adotar medidas como:

  • Implantar programas de logística reversa
  • Negociar ações que possibilitem a compra de crédito de carbono
  • Desenvolver ações para reciclagem de lixo (orgânico e reciclado)
  • Incentivar o rodízio de trabalho em formato presencial e remoto 
  • Atue com parceiros e fornecedores com valores de responsabilidade socioambiental (certificados ou não)
  • Usar mobiliário com selo de certificação de matéria prima de reflorestamento ou de origem sustentável
  • Investir em tecnologias de energias limpas e renováveis (energia solar, etc)
  • Usar sensor em banheiros para evitar desperdício de água
  • Substituir interruptores por sensores de movimento para acendimentos de luz
  • Usar de lâmpadas de LED
  • Entre outras

Pode parecer que algumas dessas ações não têm relação com a poluição do ar, mas todas as ações humanas se refletem de certo modo em um impacto ambiental. Por exemplo, a partir do momento que sua empresa usa lâmpada de led, que duram mais, menos lixo será gerado. Quando o descarte é feito corretamente, seja por um programa de logística reversa ou de reciclagem, menos lâmpadas vão para o aterro sanitário; os aterros são também grandes poluidores atmosféricos. Logo, quanto menos lixo produzimos, estamos contribuindo para a qualidade do ar.

Por menor que seja a ação que você faça hoje, passa a se tornar um hábito. Aos poucos outras práticas são somadas e a relevância delas aumentam e se potencializam. Na Mérieux NutriSciences adotamos constantemente medidas em prol de minimizar os impactos nocivos ao meio ambiente. 

Escrito por

Mérieux NutriSciences

Como parte do Institut Mérieux, a Mérieux NutriSciences é um dos maiores grupos de laboratórios do mundo e se dedica a proteger a saúde dos consumidores, oferecendo uma vasta gama de serviços de análises laboratoriais às empresas e indústrias.

Receba nossas novidades