Análise de resíduos de agroquímicos em alimentos

Determinar os níveis de resíduos de agroquímicos em alimentos é indispensável para garantir a saúde dos consumidores.

É de amplo conhecimento da sociedade, que os agroquímicos, também chamados de agrotóxicos ou pesticidas, podem causar danos à saúde. Isso depende, é claro, da substância utilizada e do tempo de exposição a ela. Os riscos existem tanto para quem os manuseia, quanto para quem, indiretamente, os consome. Por isso, determinar os níveis de resíduos de agroquímicos em alimentos é indispensável para garantir a saúde dos consumidores.

Umas das análises físico-químicas que a equipe de especialistas da Mérieux NutriSciences Brasil realiza em alimentos, é justamente essa pesquisa. O estudo busca identificar quais compostos estão presentes nas amostras recebidas e a sua quantidade.

Legislação

A legislação estabelece limites máximos permitidos dessas substâncias nas mais diversas matrizes alimentares considerando o consumo de um alimento pela população e também quanto o agroquímico utilizado em sua produção é tóxico para os seres humanos.

“Basicamente o que fazemos é analisar se as amostras que irão para exportação ou para o mercado interno, estão acima ou abaixo dos limites máximos permitidos”, explica o Gerente de Laboratório, José Vinícius da Silva, sobre o trabalho realizado pelos especialistas do grupo.

É importante saber que cada país possui o seu limite máximo para a presença de resíduos em alimentos. Por isso, os produtos, para serem exportados, devem obedecer às regulamentações que o país de destino estabelece. Para garantir isso, os especialistas da Mérieux NutriSciences tem acesso às legislações e órgões regulatórios de cada país, bem como a uma plataforma que permite verificar os limites de resíduos de mais de 900 moléculas.

No Brasil, esses limites são definidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Então, por exemplo, se é preciso avaliar quais são as substâncias permitidas no abacaxi, pesquisamos todos os pesticidas, fertilizantes e agroquímicos tolerados para essa cultura no Brasil e seus limites máximos, que é o que podemos encontrar no alimento”, esclarece Silva.

Segurança de Alimentos para Exportação

A segurança do consumidor são as razões mais importantes para realização desses estudos. Saber exatamente o que estamos consumindo e se os alimentos estão de acordo com a legislação é fundamental, já que níveis elevados de determinadas substâncias estão relacionados ao desenvolvimento de muitas doenças.

Além disso, as empresas alimentícias, além de se preocuparem com a qualidade e segurança de seus produtos, dependem também dessas análises do ponto de vista comercial.

O valor agregado de uma carga está relacionado ao seu teor de agrotóxico. Então, quando os produtos dessas empresas estão com uma concentração alta, ou têm compostos que não são permitidos, esses podem ser barrados no processo de exportação, o que implicará também em mais custos.

Métodos de análise

Para realizar a pesquisa do resíduo na amostra estudada, primeiramente, são consultados no site do órgão regulatório — ou no país de destino — os compostos que são permitidos especificamente para o alimento que está sendo analisado. Além disso, é claro, são verificados também os limites tolerados.

Para pesticidas o método de extração utilizado é o QuEChERS, que quer dizer em português: rápido, fácil, barato, eficaz, robusto e seguro. Ele é uma maneira de preparo de amostra para determinação de multirresíduos.

Essa determinação consiste em identificar vários agroquímicos ao mesmo tempo. A amostra (aqui vamos usar como exemplo o café) é triturada e misturada a solvente. Quando ela passa para o estado líquido, é colocada no cromatógrafo, equipamento em que os compostos são separados. Posteriormente, a espectrometria de massas permite identificar quais são as substâncias presentes na amostra.

Importante ressaltar que os instrumentos utilizados são os mais modernos e as técnicas, as mais confiáveis para análise de agrotóxicos, seguindo as determinações globais para esses estudos.

Somado a isso, está uma equipe de especialistas em análise de agroquímicos em alimentos, preparada para oferecer todo o suporte técnico necessário, tanto para o esclarecimento de dúvidas como para ajudar a interpretar os resultados.

Ampliação da lista de pesticidas analisados

Após a conclusão bem-sucedida do processo de avaliação realizado em outubro/2020, a American Association for Laboratory Accreditation (A2LA) concedeu ao laboratório de Qualidade e Segurança de Alimentos da Mérieux NutriSciences em São Paulo/SP a ampliação do escopo acreditado para análises químicas e microbiológicas.

O certificado de acreditação emitido pela A2LA à unidade de São Paulo se refere aos requisitos definidos pela norma ISO/IEC 17025:2017, e se trata de uma ampliação do escopo de análises, já que, em 2019, a A2LA já havia concedido a acreditação inicial ao laboratório.

Com a ampliação do escopo, a lista de pesticidas que são identificados nas análises de resíduos de agroquímicos foi ampliada, proporcionando assim, ainda mais segurança para os clientes que submetem suas amostras a esses estudos.

Com isso, atualmente, são identificados mais de 600 pesticidas nos mais variados produtos analisados (café, amendoim, amêndoa, castanha, soja, milho, manga, uva, melão, melancia, chocolate, cacau, etc.)

Análise foliar

Com o intuito de oferecer as mais seguras e modernas práticas para pesquisa de resíduos de pesticidas em alimentos, o laboratório da Mérieux NutriSciences no Chile realiza além da análise das frutas, cereais e grãos, também a do solo e das folhas. Isso permite a quem compra o produto ou ao produtor, mensurar como estará a concentração de agroquímicos no fruto ou conhecer as condições do solo, verificando se ele está contaminado com algum tipo de agroquímico.

O resultado da análise foliar não será determinante, já que a concentração nas folhas será sempre mais elevada, mas serve como um sinal de alerta ao produtor de que é preciso tomar alguma medida diferente no manejo da lavoura antes da colheita. Essas medidas podem ser boas práticas, como reduzir a quantidade de um agroquímico que está com uma concentração grande, ou até mesmo esperar mais tempo para colher.

O Gerente Nacional de Vendas, Roberto Melcón, explica que a folha funciona como um DNA da planta. Dessa forma, com a análise dela, é possível identificar a quantidade de agroquímico que ela apresenta e saber quais níveis de resíduos de pesticidas o seu fruto pode apresentar futuramente.

“O intervalo da análise do fruto até a colheita é muito curto. Então, se ele sabe 30 dias antes como estará o fruto pela folha, tem mais controle da produção”, explica.

Por enquanto, no Brasil, a análise de agrotóxicos é realizada somente nas frutas, grãos e cereais, mas, futuramente, espera-se que ela seja feita também em folhas, como no Chile – e também no Peru -, auxiliando produtores brasileiros que ainda não têm esse controle tão preciso. É importante ressaltar que, mesmo com a análise foliar, o fruto sempre precisará passar pelo estudo posteriormente.

Segurança e qualidade globais

A Mérieux NutriSciences conta com uma rede global de laboratórios nos mais diferentes países, proporcionando um ótimo suporte à exportação. Seus laboratórios fora do país permitem que os clientes possam fazer o teste de suas amostras também quando essas chegam no exterior, assegurando os laudos comprobatórios no destino, depois do que é feito na origem.

Além do prazo de três dias úteis para o envio dos resultados da análise, a equipe do laboratório está sempre disposta a trabalhar em conjunto com as demandas dos clientes, fazendo, por exemplo, a entrega das conclusões com antecedência quando as empresas precisam, ou prestando auxílio com assuntos regulatórios.

As análises de resíduos em alimentos atendem principalmente os produtores ou empresas alimentícias que exportam para países como, por exemplo, Estados Unidos e China e para aqueles que fazem parte da União Europeia.

Embora o público principal seja o mercado exportador, os fornecedores que abastecem a cadeia alimentar brasileira, também devem realizar suas análises para assegurar a saúde dos consumidores dos seus produtos.

Atualmente, a Mérieux NutriSciences realiza a pesquisa por resíduos de agrotóxicos em frutas, cereais e grãos. Todas as metodologias implantadas no Brasil são alinhadas com os demais laboratórios do grupo presentes em todo o mundo.

Assim, é possível unir robustez analítica, padrão de análise e de qualidade para um resultado ainda mais confiável. Os laboratórios de referência para esse tipo de estudo na América Latina são o Brasil, o Chile e o Peru e, na Europa, os situados na Itália e Alemanha.

Para mais informações sobre as análises físico-químicas ou demais serviços, entre em contato conosco!

(11) 5645 4700
alimentos.br@mxns.com

Ou solicite atendimento virtual aqui.

Escrito por

Mérieux NutriSciences

Como parte do Institut Mérieux, a Mérieux NutriSciences é um dos maiores grupos de laboratórios do mundo e se dedica a proteger a saúde dos consumidores, oferecendo uma vasta gama de serviços de análises laboratoriais às empresas e indústrias.

Receba nossas novidades